Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

ondas suaves

Ondas Suaves não é nada mais que a tradução literal dos caracteres 宁波 (Ningbo). Uma pequena cidade costeira situada na província de Zhejiang, China.

ondas suaves

Ondas Suaves não é nada mais que a tradução literal dos caracteres 宁波 (Ningbo). Uma pequena cidade costeira situada na província de Zhejiang, China.

Vamos lá perder o medo e comer peixe!

Aposto que já tinham saudades da comida. E que tal irmos dar um passeio pelo mercado de rua, aqui ao virar da esquina, para comprarmos alguma coisa que se coma?

As fotos são da qualidade que o telemóvel permite, más. Mas pronto, para começar temos de descer esta rua, que áquela hora do dia estava calminha.

1416038083312.jpg

 

Hoje vamos cozinhar um peixinho, ou uma tartaruga (ainda não sei bem). Maioria dos peixes ainda estão vivos, mais fresco que isto só no barco, basta escolher um que é amanhado na hora e fica pronto a levar para casa (como nos demonstra o peixeiro).

1416038176112.jpg

 E para acompanhar com o peixe, que tal uns legumes?

1416038218253.jpg

 

A medida de peso na China é o 斤 (Jin), equivalente a 1/2 Kg. Se quisermos perguntar quanto é o um jin de qualquer coisa, basta apontar e dizer «这个多少钱一斤?» (Zhe ge duo shao qian yi jin?), que é praticamente o mesmo que dizer «Quanto custa meio quilo disto?», óbvio que se soubermos o nome do legume/fruta é melhor. Agora é só levar as coisas para casa e cozinhar, no entanto ... a verdade é que não comprei peixe nenhum. Pela simples razão de ainda ter algumas reticências a comprar peixe que esteja tão perto do ponto de recolha do lixo (a céu aberto).

1416038202383.jpg

 Talvez para a próxima, desta vez fiquei-me por uma espécie de caldeirada de peixe num restaurante próximo.

1415444386651.jpg

 Só no fim é que me lembrei de perguntar onde é que eles compravam o peixe...

Abraços!

 

As pequenas coisas - 2 meses de China

Não, não me esqueci de vocês. Já faz mais de uma semana desde a última vez que vos dei noticias da China. O que aconteceu nessa semana? Basicamente, exames. Correram bem, apesar da exigência por estes lados ser altita.

Entretanto, lá se foram dois meses de estadia e desta vez não me esqueci de pagar a renda. Apesar do que vos escrevi quando fiz um mês de China, continuo a apaixonar-me a cada dia que passa pelas mais pequenas coisas que a China tem para nos oferecer. São as vivências, os locais, até quotidiano nos pode surpreender a qualquer momento.

Exemplos? Há que aprender a desfrutar de uma viagem de duas horas e pouco (ir e vir) em sardinha enlatada só para comer um big mac. Fazer parte da viagem praticamente sentado no tablier tem a sua piada, coube-me a mim ir passando os passes das pessoas que entram na parte de trás do autocarro pela máquina e voltar a devolver mão em mão até ao seu dono, ou até recolher com as duas mãos um monte de moedas da colecta daqueles que ainda não pagaram. O dinheiro circula de mão em mão e chega ao motorista sem que ninguém tire um tostão.

Tentar desenvolver o chinês ao falar com os taxistas, ou mesmo a ralhar com eles quando tentam ir pelo caminho mais longínquo, e no fim de regatearmos o preço apertarmos as mãos e sorrirmos contentes da vida.

Passear no bairro aqui do lado, onde quase se tropeça num cabrito a ser esfolado ao lado da banca das patunfas e onde as motas serpenteiam a multidão a velocidades absurdas. Ruas que parecem estar num caos constante, mas onde tudo tem a sua ordem.

Atravessar as multidões que estão a sair das aulas e fazer o jogo do "o primeiro a levar com uma bicicleta em cima perde", ou esperar por um colega à porta da cantina e jogar ao "onde está o Holly?" (o nível mais difícil deste jogo é quando estamos à espera de um chinês).

Bem, vou ficar por aqui que o texto já se está a alongar.

Ainda na ressaca do festival cultural, quase me esquecia de vos dizer que ganhei o 4º prémio, mas atenção que 4º prémio não é o 4º lugar, devo ter ficado entre o 15º e o 20º lugar, nada mau. Por curiosidade, os Indianos ganharam, o Bangladesh ficou em 2º e a Coreia do Sul em 3º, óbvio que festejei com os meus vizinhos até às tantas.

Antes de ir embora não podia deixar de dizer que amanhã é o dia do solteiro. Para além dos milhões de descontos por todo o lado, a universidade organiza uma espécie de sorteio onde quem se inscreve recebe o seu par à sorte e tem de passar 3 dias com ela/ele. Apesar do factor económico, não deixa de ter a sua piada.

Abraços!

Festival Cultural - Portugal

Ontem celebrou-se a multiculturalidade da Universidade de Ningbo. Um dia recheado de performances e discursos, num espaço com mais de 50 tendas. Como prometido, avancei com a tenda de Portugal. Uma decoração simples, com dezenas de fotos penduradas num estendal improvisado. Desde paisagens portuguesas de norte a sul e ilhas, figuras como o Cristiano Ronaldo, comida típica como o bacalhau, queijos e vinho ou até a francesinha, passando pelos forcados a pegar um touro (foi sem dúvida a foto do dia), não faltou o Capitão Salgueiro Maia com um cravo na ponta da espingarda ou até os caretos de Podence a correr no meio da rua.

Ofereci mini pastéis de nata (verão chinesa claro) a quem descobrisse palavras portuguesas no meio de 10 diferentes línguas e coloquei dezenas de livros nas mesas com informações e fotos sobre Portugal (em chinês e inglês). Para rematar, consegui à ultima da hora um chinês que nos presenciou com musicas tradicionais portuguesas em acordeão.

IMG_20141031_110404.jpg 

 Foram centenas as fotografias que tirei com os visitantes, o que não é surpreendente tendo em conta que sou uma espécie rara por aqui. A camisola do Sporting fez sucesso entre os amantes de futebol. Faltou o vinho do Porto porque na quarta-feira me avisaram que não era autorizado bebidas alcoólicas, o mais engraçado é que na sexta de manhã a chefe da organização perguntou-me pelo vinho do Porto porque queria trazer o reitor a provar o vinho e os pastéis, nem vale a pena comentar. Não levou o vinho mas ofereci-lhe alguns livros em chinês sobre as relações entre os dois países.

Resumindo, existem muitos chineses interessados em Portugal, desde aprender a língua a visitar o nosso país e experienciar a nossa cultura. A beleza das paisagens portuguesas ajudou a publicitar o nosso cantinho. Dei o meu melhor num dia super longo e cansativo mas com um saldo bem positivo.

 

1414720778648.jpg

 Tudo isto não seria possível sem a ajuda dos meus amigos chineses que me acompanharam todo o dia e ajudaram em tudo. Um agradecimento especial à Embaixada de Portugal em Pequim que me enviou dezenas de livros em tempo recorde (é reconfortante saber que a Embaixada está presente quando mais precisamos). E como não poderia deixar de ser, um obrigado a todos vocês que enviaram sugestões e me apoiaram desse lado para este dia se realizar. Abraços