Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

ondas suaves

Ondas Suaves não é nada mais que a tradução literal dos caracteres 宁波 (Ningbo). Uma pequena cidade costeira situada na província de Zhejiang, China.

ondas suaves

Ondas Suaves não é nada mais que a tradução literal dos caracteres 宁波 (Ningbo). Uma pequena cidade costeira situada na província de Zhejiang, China.

Viagem aos bastidores dos negócios da China

Aviso: Este post vai ser longo, mas um tanto ao quanto interessante.

Já lá vão os meses que vão e eu andava aqui em pulgas para poder ver com os meus olhos aquilo que todos nós, tal como eu, gostamos de opinar mas que poucos sabem do que se trata, exacto, os negócios da China. Mas o que é isso de negócios da China? Não sei, mas pareceu-me o título exacto para este post. Estava aqui a pensar, ando a mostrar comida e paisagens mas nada de negócios, nada de fábricas, nada daquilo que tornou possível este desenvolvimento da China e que nos faz dizer a china é a fabrica do mundo ou melhor eles andam a comprar tudo. Bem, chegou a hora.

Acabo de chegar de uma viagem aos bastidores dos negócios da China e nada melhor que vos transmitir um bocadinho daquilo que experienciei, mas antes de mais explico-vos como tudo começou.

Amizades, essa coisa que andava para aqui a falar de amizades com este e aquele do pais x e y. O tuga, sozinho, lá teve de fazer amizades e uma delas foi com um coreano com idade para ser meu pai (sem ironias), a confiança e o respeito foi algo que sempre pairou na nossa amizade e num dia destes, num dia igual a todos os outros (onde a saudade da bifana com uma imperial paira no ar), ele ofereceu-me uma oportunidade que era pegar ou largar. Queres viajar durante 10 dias pela China com malta do pais X que vem fazer negócios de Y? Olha, não é por ser tudo de borla, mas ajuda, siga lá ver isso.

IMAG0207.jpg

 

IMAG0252.jpg

 

Por questões mais que obvias, não vou referir nomes de nada (nem pessoas, nem empresas, nem cidades), mas isso é o menos no meio disto tudo.

Quem veio, tinha 10 dias para comprar uma lista interminável de coisas e um programa de viagem que não dava tempo para ir à casa de banho. Objectivo? Um lucro daqueles bem fixolas. Então mas como é que eles fazem para ter um lucro bem fixolas? "Fácil"!

  1. Tens de conhecer o teu mercado (olha, que novidade!)
  2. Também tens de conhecer quem conhece a China (parabéns à prima!)

Sim, nada é novo, mas de fácil também não tem nada. O negócio é o seguinte: vens à China, compras tudo aquilo que podes importar e que te sai mais barato que importar de qualquer outro país ou pois claro, comprar do teu próprio. Metes tudo num barquinho com uns contentores e pumbas … o resto é pessoas como nós a consumir tudo o que faz falta e acima de tudo, o que não faz.

Epa, mas eu pensava que a tralha da China só estava nas lojas dos chineses … é isso e o CR7 vir para o SCP neste mercado de verão. Peguem nas 5 primeiras coisas que estiverem à vossa frente, se mais de metade não vier da China, eu pago-vos uma mini quando chegar. O meu iphone diz made in USA, pois diz, mas foi todo montadinho ali na fabrica do Chaolingpingpang.

Então mas como é que tudo se processa? Até parece fácil, mas na verdade, não o é. Eu vou ali à fábrica (ou a uma feira com representantes das fábricas) porque conheço quem conhece aquele que conhece quem me pode receber, sento-me numa sala e dali a umas largas horas das duas uma, ou vou sair com o mesmo dinheiro (mau) ou vou saie desfalcado (bom) porque acabei de fechar um negócio de milhares. Exemplos?

Conversas ligeiras:

Quando é que custa este produto?

0,025$

(um minuto na calculadora)

Eia tão caro!

Quantas caixas/contentores/toneladas queres?

Umas tantas quantas.

Então vai a 0,0235$.

Ah.. siga lá fechar negocio então.

Papéis e sorrisos. Adeus e até para o ano, se tudo vender.

Pronto, muito basicamente é isto.

IMAG0213.jpg

 

 

Conversas pesadas:

Quanto é que custa este produto?

0,025$

E se não levar esta coisa?

0,024$

E se levar esta coisa mas não levar aquela?

0,0245$

Então e se eu quiser fazer aquela coisa desta maneira que estou aqui a pensar?

Depende.

Então e se blablablablablablabla.

(mais duas horas)

Então e se a qualidade for pior?

0,013$

Então e se for melhor?

0,050$

Então e se com a pior qualidade me tirares dali e puseres acolá?

0,015$

Então e se com a melhor..blablablablabla?

Pronto, e com isto estou eu à não sei quantas horas fechado numa sala sem saber bem se já é amanhã ou ainda é hoje.

IMAG0220.jpg

 

Então e os trabalhadores das fábricas? Aqueles que não estão na salita com ar condicionado a falar de números?

Bem, desses, nem sei bem o que dizer. Lembro-me de fazer visitas de estudo a fábricas portuguesas quando era pequenito, e sinceramente a coisa está ela por ela. Bem, o salário dos chineses deve estar bem lá por baixo e as horas de trabalho bem lá por cima. Mas pronto, lá andávamos nós a fazer ‘visitas de estudo’ entre as máquinas a rugir dinheiro e os trabalhadores caladinhos a pensar na morte da bezerra. E aqui para nós, que ninguém nos ouve, não me perguntem porquê mas sentia-me horrivelmente horrível a andar por entre aqueles trabalhadores que me olhavam de lado, sabe-se lá bem a pensar o quê. Enquanto os dos números sorriam e se vangloriavam, eu desviava olhares e apetecia-me dizer sou turista! Atenção: não vi crianças nem adolescentes. E esta ein?!

IMAG0223 (2).jpg

 

 

E vocês dizem: não tens espírito de negocio! Nas salas até tinha, opinava entre dentes e fazia olhares de negociador, mas quando caminhava pela fábrica apetecia-me virar hippy e viver no meio da natureza sem consumir nada que tivesse de ser feito por alguém que está naquelas condições.

Alguém explicava, Esta sala tem x máquinas e não precisa de pessoas.

Uffa! dizia eu sem pensar que existem pessoas a precisar de ganhar para o pão do dia a dia.

IMAG0226.jpg

 

Nesta sala existem x pessoas a trabalhar que nem uma máquina.

Não posso ver isto! dizia eu sem pensar que existem pessoas a precisar de ganhar para o pão do dia a dia.

IMAG0231.jpg

 

Olhem, sabem que mais, não me apetece falar mais disto. Acabo por aqui aquilo que foram 10 dias a visitar mais de 40 fornecedores, sem tempo para ir à casa de banho. E estou em frente ao meu PC feito por alguém, a mexer num teclado feito por alguém, com uns headphones feitos por alguém, sentado numa cadeira feita por alguém, enquanto visto roupa feita por alguém e vou trocando mensagens num telemóvel feito por alguém. E tudo não seria possível se não tivesse outro alguém a falar de números para eu ter a facilidade de sair de casa e comprar o que alguém fez para eu consumir.

E se não foi feito na China, foi noutro país qualquer. E melhor seria para nós se fosse em Portugal, não era? Então do que estou eu para aqui a falar?

Seja numa fábrica na linha de produção, num escritório à frente de um pc, numa loja em frente ao balcão, num carro a conduzir, numa sala a dar aulas, num hospital a ver pacientes ou numa sala a falar de números. Trabalho é trabalho, e eu que já fiz tanta variedade deles e não me queixei, o que importa é tê-lo porque o pão ainda não tem pernas para vir sozinho para a mesa.

Deve ter sido de tantos dias a dormir pouquitas horas, mas este post acabou por ser um fracasso.

Pode ser que as fotos compensem qualquer coisita.

Abraços!

2 comentários

  • Imagem de perfil

    ondasuaves 26.06.2015

    Obrigado tia :D brevemente estarei ai para te azucrinar a cabeça hehe. beijinhos!
  • Comentar:

    Mais

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog tem comentários moderados.

    Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.